15 de set de 2008

Lindsey Rocha


Abrace. Grite. Veja o que dança num corpo que só se aquieta. Sinta o percurso da farpa na garganta. Onde vai dar. Que sentidos rasgará. Eu abraço. Eu grito. Gemo. Tremo. Quebro os copos. Lavo roupa. Sou pessoa não letra. Quero tombo. Bofetada. Força. Quero não. Eu suplico. Eu quero que valha a pena suplicar. Percorro. Busco. Eu morro mas não morna. Sussurre. Deslize. Sinta a farpa sob a pele, entre o sangue, como agulha perdida no organismo, ou pó-de-vidro para só apenas nada mais que um dia de vida. Mas de vida.

2 comentários:

Claudio Falcão disse...

é seu? interessante

Claudio Falcão disse...

opss.. risos... é o q dá não ler o título.