7 de out de 2008

Abraço eterno


Arqueólogos descobriram na Itália um casal enterrado entre 5000 e 6000 anos atrás.

E esse eterno abraço me pôs a pensar na vida, na morte, e em todos os espaços ocos que ficam entre essas duas. Para mim, essa imagem traduz simplesmente o vazio, o inexprimível. Essa é a verdadeira eternidade, aquela que dura segundos, mas permanece por séculos, milênios. O instante permanece. Ele vive nessa imagem e se transmite a todos que puderem olhá-la sem medo. O instante vive, eles vivem, porque esses segundos são eternos, porque eles são eternos, e essa eternidade irradia sentimento, um sentimento de vazio. Um vazio que é o sentimento em si.


Fonte: http://oglobo.globo.com/ciencia/mat/2007/02/06/294471109.asp

Nenhum comentário: