10 de set de 2009

Eterno - Carlos Drummond de Andrade

E como ficou chato ser moderno.
Agora serei eterno.

(...)

Nenhum comentário: