24 de mar de 2010

Rato na Roda * Pitty

Tenho pressa, eu vou correr
Sempre há muito o que fazer
Nem parece o mesmo lugar
Minha adorável gaiola dourada

Agradeço pela ração
Aqui tudo está sempre a mão
Um cantinho pra eu me deitar
Uma bola pra me acalmar

Sempre correndo mais e mais e mais...

Vê é simples
Eu nem me importo mais
Sempre seguindo
pra nunca chegar

Veio dizendo: Já é tarde!
Intensifica a ansiedade
Vidros, quartos e pessoas
Cordões de isolamento e tudo mais

Te cuido tanto aqui
Te dou o que quiser
É só me divertir
E não tentar fugir

(Rato na Roda - Pitty)




Engraçado. Nunca imaginei que uma disciplina com o nome de "Métodos e Técnicas de Pesquisa Jurídica" fosse ser tão produtiva e empolgante. É impagável a identificação que tive com as coisas que foram faladas na aula e a posterior reflexão e constatação que ela me proporcionou. O assunto abordado foi a sociedade contemporânea conduzida pela razão técnica, moldada por uma perspectiva funcional, prática, que gera um distanciamento entre as pessoas e uma insegurança com relação ao futuro.
De fato, hoje é tudo rápido, o que se busca é o efeito imediato das coisas, a utilidade prática dos atos. É a era da tecnologia, da correria, em que tudo se torna obsoleto rapidamente. A moda é não ter tempo pra nada, é ter a rotina completa de atividades e terminar o dia com os pés doloridos do sapato que foi usado o dia inteiro. Não é de se admirar que o trabalho hoje seja visto como escravidão. Não poderia ser diferente. No entanto, o que nos escraviza não é o trabalho; o trabalho não é ruim. Estamos submetidos a essa nova ordem, buscamos ganhar dinheiro e mais dinheiro e mais dinheiro. Atualmente, o conhecimento não é um fim em si mesmo, é um instrumento para se chegar a determinado fim. E é esse fim, que nos escraviza, é o dinheiro que nos submete e nos faz menos humanos.
Chaplin traduz essa submissão do homem com relação ao dinheiro por meio de uma relação de escravidão do homem com relação à máquina, que é o "supra sumo" da sociedade moderna. Não vou nem começar a falar de "Tempos Modernos" porque não conseguiria terminar esse post.
Enfim... O fato é que fiquei pensando em todas essas coisas e acabei não indo estudar... Acho que estou perdendo a praticidade.

Nenhum comentário: