5 de jul de 2010

Bertold Brecht - I



Do rio que tudo arrasta se diz que é violento, mas ninguém diz violentas as
margens que o comprimem.

Nenhum comentário: