27 de fev de 2010

Por Livia Leal

Perguntei ao mundo:
- De que vale então essa realidade se a justiça fracassa, a desonestidade impera e aqueles que conservam a fé acabam se dando mal?
E ele me respondeu:
- Nunca lhe prometi um jardim de rosas! Nunca lhe prometi a justiça ideal...
E essa é a única resposta que guardo comigo até hoje.

Por Livia Leal


É essa vontade de me jogar acima do sonho e virar sentimento, infinito, luz.
É isso que sou.
Sou o impossível e sou feliz.

(Poema sem nome) - Livia Leal

Mas. Porém.
Por enquanto.
Entretanto.
Também.
Contudo,
com tudo,
me perdi nos porquês.